Educação Infantil para Surdos


22/05/2007



Grupos: Carine Mendes Garbin Diesel, Eneida Machado, Aline e Márcia
Informática e Multimeios na Educação
Professora: Ana Margô Mantovani

Escrito por carinegarbin às 10h41
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

21/05/2007


Educação Infantil para Surdos

Este Blog tem  o objetivo de mostrar a língua de sinais.  Apresentar de modo claro como o aluno surdo conhece e amplia o seu vocabulário, através de uma língua-visual espacial, porque através da língua de sinais ele se alfabetiza também na língua portuguesa.

Escrito por carinegarbin às 17h53
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

 O Que é Língua Brasileira de Sinais?

A Língua Brasileira de Sinais - Libras e a Língua Portuguesa são as línguas que permeiam a educação de surdos e se situam politicamente enquanto direito.
A aquisição dos conhecimentos em língua de sinais é uma das formas de garantir a aquisição da leitura e escrita da língua portuguesa pela criança surda. O ensino da língua de sinais e o ensino de português, de forma consciente, é um modo de promover o processo educativo.
O Português é a língua oficial do País, uma segunda língua para pessoas surdas o que exige um processo formal para sua aprendizagem.
Conheça 
LIBRAS - ALFABETO MANUAL E NÚMEROS.

 

Comente: O que você conhece sobre a Língua de Sinais?

Escrito por carinegarbin às 17h52
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Vocabulário



Trata-se de um material que aborda a forma bilíngüe de efetivar a alfabetização de crianças com surdez, podendo colaborar com a formação continuada de professores, de forma a melhorar a qualidade da educação.
Provocar nos alunos o interesse pelo tema da leitura por meio de uma discussão prévia do assunto, ou de um estímulo visual sobre o mesmo, ou por meio de uma brincadeira ou atividade que os conduza ao tema pode facilitar a compreensão do texto.
As atividades podem ser utilizadas desde o início do processo de aquisição da leitura e escrita, ou seja, com aquelas crianças que ainda não tiveram nenhum contato com o português, até o final das séries iniciais, em que a criança já se encontra alfabetizada.
Nesse sentido, há processos em que ocorre a tradução dos conhecimentos adquiridos na língua de sinais, dos conceitos, dos pensamentos e das idéias para o português.
O ensino do português pressupõe a aquisição da língua de sinais brasileira a língua da criança surda. A língua de sinais também apresenta um papel fundamental no processo de ensino-aprendizagem do português. A idéia não é simplesmente uma transferência de conhecimentos da primeira língua para a segunda língua, mas sim um processo paralelo de aquisição e aprendizagem em que cada língua apresenta seus papéis e valores sociais representados.
A libras e a sua importância no processo de alfabetização em língua portuguesa.


LIBRAS: DICIONÁRIO DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS




COMENTE: Como ensinar em sala de aula os alunos de uma forma que eles aprendem?

Escrito por carinegarbin às 17h52
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Recursos:


Considerando o ensino da língua portuguesa escrita para crianças surdas, há dois recursos muito importantes a serem usados em sala de aula: o relato de estórias e a produção de literatura infantil em sinais. O relato de estórias inclui produção espontânea das crianças e a do professor, bem como, a produção de estórias existentes; portanto, de literatura infantil.


Escrito por carinegarbin às 17h51
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Como o surdo se expressa para comunicar sua língua materna?


A língua de sinais é uma língua espacial-visual e existem muitas formas criativas de explora-las. Configurações de mão, movimentos, expressões faciais gramaticais, localizações, movimentos do corpo, espaço de sinalização, classificadores são alguns dos recursos discursivos que tal língua oferece para serem explorados durante o desenvolvimento da criança surda e que devem ser explorados para um processo de alfabetização com êxito.


- estabelecimento do olhar
- exploração das configurações de mãos
- exploração dos movimentos dos sinais (movimentos internos e externos, ou seja, movimentos do próprio sinal e movimentos de relações gramaticais no espaço)
- utilização de sinais com uma mão, duas mãos com movimentos simétricos, duas mãos com movimentos não simétricos, duas mãos com diferentes configurações de mãos.
- uso de expressões não manuais gramaticalizadas (interrogativas, topicalização, focus e negação)
- exploração das diferentes funções do apontar
- utilização de classificadores com configurações de mãos apropriadas (incluem todas as relações descritivas e preposicionais estabelecidas através de classificadores, bem como, as formas de objetos, pessoas e ações e relações entre eles, tais como, ao lado de, em cima de, contra, em baixo de, em, dentro de, fora de, atrás de, em frente de, etc.);
- exploração das mudanças de perspectivas na produção de sinais
- exploração do alfabeto manual
- estabelecimento de relações temporais através de marcação de tempo e de advérbios temporais (futuro, passado, no presente, ontem, semana passada, mês passado, ano passado, antes, hoje, agora, depois, amanhã, na semana que vem, no próximo mês, etc.)
- exploração da orientação da mão
- especificação do tipo de ação, duração, intensidade e repetição (adjetivação, aspecto e marcação de plural)
- jogos de perguntas e respostas observando o uso dos itens lexicais e expressões não manuais correspondentes
- utilização de “feedback” (sinais manuais e não-manuais específicos de confirmação e negação, tais como, o sinal CERTO-CERTO, o sinal NÃO, os movimentos de cabeça afirmando ou negando)
- exploração de relações gramaticais mais complexas (relações de comparação, tais como, isto e aquilo, isto ou aquilo, este melhor do que este, aquele melhor do que este, este igual àquele, este com aquele; relações de condição, tais como, se isto então aquilo; relações de simultaneidade, por exemplo, enquanto isto acontece, aquilo está acontecendo; relações de subordinação, como por exemplo, o fulano pensa que esta fazendo tal coisa; aquele que tem isso, está fazendo aquilo)
- estabelecimento de referentes presentes e não presentes no discurso, bem como, o uso de pronominais para retomada de tais referentes de forma consistente
- exploração da produção artística em sinais usando todos os recursos sintáticos, morfológicos, fonológicos e semânticos próprios da LSB (tais recursos incluem, por exemplo os aspectos mencionados até então). A proposta é de tornar rica e lúdica a exploração de tais aspectos da língua de sinais que tornam tal língua um sistema lingüístico complexo.
www.ines.org.br/libras/index.htm


Comente: Como você percebe a expressão da língua dos Surdos?





Escrito por carinegarbin às 17h50
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

 Metodologia:

Desenvolvimento das atividades
Obviamente que este processo de leitura deve estar imerso em objetivos pedagógicos claros no desenvolvimento das atividades. Estes são alguns dos objetivos a serem trabalhados pelo professor (em sinais):

Desenvolver o uso de estratégias específicas para resolução de problemas
Exercitar o uso de jogos de inferência
Trabalhar com associações
Desenvolver as habilidades de discriminação visual
Explorar a comunicação espontânea
Ampliar constantemente vocabulário,
Oferecer constantemente literatura impressa na escrita em sinais
Proporcionar atividades para envolver a criança no processo de alfabetização como autora do próprio processo


 

 

 Comente: O que vocês acham sobre o ensino e aprendizagem para as criancas surdas?

Escrito por carinegarbin às 17h47
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Conclusão


As crianças surdas tem a necessidade de visualizar os sinais para aprender a escrita, porém para as crianças surdas o contato com computador ajuda esta compreensão uma vez que é preciso material concreto.Os sinais e desenho são basicamente a substituição da audição, fazendo o visual indispensável para uma aprendizagem sólida.




Comente: Hoje, os professores estão capacitados para ensinar alunos surdos?

Escrito por carinegarbin às 17h42
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]
 

Perfil



Meu perfil
BRASIL, Sul, SAPUCAIA DO SUL, DIHEL, Mulher, de 20 a 25 anos

Histórico